Área Restrita:
Esqueci a senha
Portal Ciesp > Notícias > WORKSHOP PPI - SEGURANÇA, INVESTIGAÇÕES, TRANSPORTE DE CARGAS, PROTEÇÃO À EXECUTIVO E GERENCIAMENTO DE GREVES

Noticías

WORKSHOP PPI - SEGURANÇA, INVESTIGAÇÕES, TRANSPORTE DE CARGAS, PROTEÇÃO À EXECUTIVO E GERENCIAMENTO DE GREVES25/07/2018Carla Marins, Comunicação CIES-Campinas 
Autoridades de expressivo reconhecimento e produção de conteúdo local falaram sobre este mote ascendente, devido ao expressivo aumento do índice de criminalidade.

 No dia 21 de junho, o anfiteatro do CIESP-Campinas lotou, um público estimado em amis de 100 executivos esteve presente no workshop promovido pela Divisão de Proteção Patrimonial Industrial do Departamento de Segurança, colocou na roda de conversa questões iminentes sobre a segurança e o roubo de cargas. 

Alinhado ao cenário atual, quer seja ele social, criminal ou econômico, o workshop traz o que repercute dentro das organizações, a fim de mitigar essa gama de riscos. O evento teve a parceria da Abseg – Associação Brasileira de Profissionais de Segurança.

Técnicas de Investigação – Conceitos, técnicas e estratégias para a realização de uma investigação em todas as suas fases de aplicação.
Rodrigo Villela Dirani - Gestor de Segurança Empresarial da empresa Robert Bosch Campinas, Oficial da Reserva do Exército Brasileiro no posto de 1º Tenente, ex-comandante da Polícia do Exército e Instrutor do Centro de Operações de Garantia da Lei e Ordem, Diretor da ABSEG do interior do Estado de SP e Diretor do Departamento de Segurança do CIESP-Campinas.

“Atualmente, a investigação empresarial tem por finalidade descobrir a agressão (dano) e o seu autor, para que seja adotada uma medida administrativa compatível com o caso. Não podemos deixar de lembrar que a busca de provas deve ocorrer de forma lícita; caso contrário, a empresa estará dando ao agressor a oportunidade de sair da situação de réu para vítima, processando a organização.”,afirmou Dirani.

Gestão de Proteção de Executivos – aspectos estratégicos - Conceitos importantes e estratégias de aplicação da Gestão de Proteção de Executivos. Violência Urbana e Proteção de Pessoas. Política de Proteção Executiva. Recursos de proteção – recursos tecnológicos, organizacionais e humanos. Inteligência.
“Quem define os recursos a serem utilizados são os riscos, para tanto é premissa importante desenvolvermos a melhor capacidade de Detecção, Prevenção e de Resposta.”, observa.
Roberto Zapotoczny - Empresário, sócio da The First Consultoria. Diretor do COMDEFESA – Departamento de Defesa e Segurança da FIESP. Mestre em Educação, Administração e Comunicação (Universidade São Marcos). Tecnólogo em Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública (PMESP). Graduado em Administração de Empresas. Pós-graduado em Política e Estratégia (USP). MBA em Gestão Empresarial (Universidade Anhembi Morumbi). Especialista em Administração de Segurança e Professor da Universidad Comillas de Madrid (Espanha). Especialista em Gerenciamento de Segurança e Crises (Israel). Especialista em Inteligência Policial (EUA). Atuou no Serviço de Inteligência e na Proteção Executiva do Governo do Estado de São Paulo. Criou e coordenou o curso superior "Gestão de Segurança Empresarial e Patrimonial" e o curso "MBA Gestão Estratégica de Segurança Empresarial", da Universidade Anhembi Morumbi. Instrutor de cursos de Direção Evasiva para a BMW, Audi e Mitsubishi. Master Pratitioner em PNL - Programação Neurolinguística. Colabora com várias reportagens sobre violência urbana em emissoras de televisão, jornais e revistas. Autor do livro: "Gerenciamento de Crises em Segurança Empresarial e Sequestros" (2008) e "Segurança é estilo de vida" (2016).'

Interdito Proibitório -  Ferramenta muito utilizada no meio empresarial para conter uma greve, como não existe uma receita para o tema GREVE, esta ferramenta deve ser bem trabalhada pelos respectivos departamentos de Relações Trabalhistas das Empresas, para que não ocorra um retrocesso, ou seja, os sindicatos e a mídia acabem transformando este dispositivo jurídico totalmente legal em uma arma de movimento social.

“O interdito proibitório passou a ser aceito após a edição da Emenda Constitucional nº 45 de 2004, pois esta proporcionou significantes reformas no Poder Judiciário bem como a inovação de diversos institutos na Justiça do trabalho. A concessão do interdito proibitório consiste, apurada a existência dos pressupostos, em emissão, pela autoridade judiciária, de um mandado proibitório, pelo qual se determina a alguém (réu) que não pratique certos atos (que originaram o justo receio) cujo descumprimento implicará em pena pecuniária nele prevista. Atualmente, a boa doutrina e os Tribunais têm aceitado o pleito de indenizações causadas pelo ato ilícito contra o qual se precaveu.”, fundamentou.
Marco Aurelio Pereira - Especializado em Gestão da Segurança Empresarial - Master Business Administration - MBA pela Faculdade Fecap - Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado; Formado em Administração de Empresas pela Faculdade de Administração de Capivari; Curso de Educação Física pela Escola de Educação Física do Exército / Direito pela faculdade Anhanguera / Anti-sequestro na Itália / Contra Inteligência na Alemanha e Israel / Ações Táticas na SWAT/EUA / Guerra na Selva, Escalador Militar. Especialista em Ciências Militares – Escola Superior de Guerra; Módulo Internacional de Gestión da Seguridad Empresarial Internacional - Universidad Pontifícia Comillas de Madrid – Espanha; MBA em Gestão Ambiental pela FAEP de Araras; Técnico em eletrônica; Especialista em Engenharia Militar e Mecânico de Comunicações, Artilharia Antiaérea e Guerra Química e Explosivos; Professor convidado pela FECAP-SP e Brasiliano Associados para ministrar aulas de Planejamento de Segurança no Curso Avançado em Segurança Empresarial - Master Business Security – MBS, MBFI e PES; Instrutor do FORMARE - Projeto de Responsabilidade Social - atuando como educador voluntário; Certificado como Especialista em Segurança Empresarial - CES pela Associação Brasileira de Segurança Orgânica – ABSO; Professor da FAESP e palestrante convidado das Faculdades FAC e Policamp; Autor do Livro – Dicas e Macetes do Gestor de Segurança, Diversos artigos publicados sobre segurança, Missões em Angola, Argentina, Colômbia, Venezuela, Peru, Chile, México, EUA, Portugal e Panamá.

Segurança no Transporte - Táticas de roubo e desvio de cargas, Cuidados no transporte de cargas.
 “A percepção de detalhes simples e de confirmação dos mesmos através de contato com a empresa fornecedora pode evitar grandes delitos e perdas. Observamos diariamente que as táticas de roubo ganham espaço nessas pequenas brechas.”, consolida Miranda.

Inspetor Fernando Miranda - Inspetor Chefe do Grupo de Policiamento Especial do Estado de SP, Tecnólogo em processamento de dados e programação na linguagem UNIMEP, Editor de Imagens para televisão, Agente ELO desde 2013, ingressou na PRF em 1994, atuou como coordenador de várias operações, entre elas a maior apreensão de contrabandos já realizada em um único dia em rodovia; Tropa de Choque no Brás; Prisão da quadrilha que praticava roubos a apartamentos de luxo em Fortaleza/CE; Prisão dos criminosos do sequestro do W.Olivetto; Operações Feira de Santana, Viagem Segura, Ponte da Amizade, Transporte de Passageiros Clandestinos, Combate a roubos a passageiros de coletivos, quadrilha de adulteração de combustível, chefiou a seção de inteligência que culminou na prisão do chinês Law Kin Chong; Realizou busca e apreensão do maior contrabandista de cigarro no Brasil, conhecido como Lobão; Encarregado das operações Enduro, Speed, Gato Preto, Refinaria, entre outras. É palestrante do curso de formação de Policiais Rodoviários Federais em Operações Especiais.

Acesse as apresentações na íntegra, AQUI!
Imagens por: Nó de Oliveira Fotografia
Compartilhar:
Comentários:Nenhum comentário foi publicado.

Deixe aqui seu Comentário:

Nome:
Empresa:
Comentário: